Sheesh it has been a long time

Really bad blogger here!! If anyone ever reads this they’ll be really disapointed with me because I have such errant posting times…

Anyway, i’ll try to start updating this with what I’ve been doing since I posted last.

To start – the first sweater I’ve ever knit – Buttercup

Butercup – my first sweater

This is a top-down raglan sweater pattern by Heidi Kirrmaier and it’s a freebie! The yarn I used was Katia merino baby, it’s a 100% merino wool yarn, lovely to knit with. I’ve already wore the sweater quite a few times and it’s not pilling yet, but it is a bit more fuzzy than it used to be, and the sweater doesn’t have such a polished surface anymore.

Oh this sweater has a story to tell! This was the first knitted project i’ve started – yep the first! (right after a training 5cm swatch and the swatch for this) So, logically I made every possible mistake a begginer knitter can make, yet I learned so much with it.

On this sweater I learned that my mom taught me to knit eastern style – knit through the back loops and purl clockwise. How did I found this you ask? The directions for knit front and back (kfb) were confunding me – how could I knit through the front leg and then through the back leg of the stitch if I was already knitting through the back leg to begin with – so I noticed that in the knitting videos people were knitting through the front legs of the stitches, and I started doing that. But my stitches started to look twisted – what the heck was happening to my knitting??

So I continued to look through the learn to knit videos and I found out that I should wrap the yarn the other way around the needle when purling – yay I solved my kfb puzzle!! Yet at this point I had a little capelet of a sweater that had a few stripes of twisted stitches. How did I solve this – you ask? I didn’t! I frogged the entire thing and started casting on again right away.

After acquiring this novel knowledge I knit the entire body as recommended by the pattern until I finished the body and started a sleeve. So here start the big woes – I hated it! I’ll explain why: I’m not the type of girl that looks like a stick and looks great in any clothes, I have a reasonably sized pair of galls – so the A line of the sweater made me look a bit mommy like. Around this time I discovered the magnificent’s Amy Herzog blog, and at the time she had her Fit to flatter series tutorials for free on her blog, and it was a great help to learn how to create a fitted and flattering sweater. So the sweater was frogged once again! (ok just until above the bust)

I made bust short rows and added princess lines of decreases from bust to waist and increases from waist to hip. The bust short rows were a bit messy, I could not find a decent tutorial on how to pick up the wraps when you are knitting in the round. The short rows were gaping on one side, and I fixed this by weaving in some yarn in this area to close the gaps (unsatisfactory but worked – since then i’ve realized you have to move the wrap inbetween the wraped stitch and the gaping hole before the first unwraped stitch, and knit this unwraped stitch with the wrap). So I finished the sweater, it was lovely and it fit me perfectly – or so I thought then…

I had made another fiber newbie error – I didn’t wash my swatch, so I had no idea that the beautiful 100% merino yarn I had used would lenghten, a LOT!!! After washing, my sweater had grown at least 5cm and the shaping was hitting my body at the most unfitting places. Many people would just be fine with it, yet this was my first sweater, from a pattern that made me want to learn how to knit, so I would have THAT sweater… So I frogged it again! (again  until above the bust).

Now I had a sweater size realistic gauge swatch, so I made sure I had the correct gauge measurement and I started reknitting the sweater, adding again the bust short-rows, and the princess lines decreases and increases, placed at their proper places, which finally resulted in a beautiful sweater that I love to wear so much that it is starting to show.

Pronto confesso! Sou a pior blogger que pode existir! Se alguém alguma vez leu este blog, por esta altura já desistiram…

De qualquer forma vou tentar começar a fazer updates, não prometo regularidade, mas vou tentar ir publicando qualquer coisa de vez em quando. Vou começar pelos projectos que tenho terminado desde o último post.

Para começar – a primeira camisola que tricotei – Buttercup

As instruções deste modelo são trabalhadas de cima para baixo (da gola para a anca) e a designer é a Heidi Kirrmaier. O modelo é gratuito e podem encontrá-lo no ravelry. A camisola tem cavas raglan – as mangas são juntas ao corpo em duas linhas oblíquas desde o pescoço até ao sovaco. Usei o fio Katia merino baby, que é feito em 100% lã merino, e é um prazer de tricotar. Já usei a camisola várias vezes e ainda não ganhou borboto, mas está um pouco mais felpuda e a camisola já não tem um tecido tão liso e polido como anteriormente. 

Esta camisola tem uma verdadeira história para contar… Este foi o meu primeiro projecto em tricot – sim o primeiro! (Logo após uma amostra de treino com ~5cm, e a amostra do fio, para ter a densidade de malhas da camisola.) Por isso, logicamente fiz todos os erros que uma novata poderia fazer, mas aprendi imenso com ela.

Com esta camisola descobri que a minha mãe me tinha ensinado a tricotar num estilo que é conhecido na internet como oriental – as malhas em meia são tricotadas através da “perna de trás” do ponto, e nas malhas em liga o fio é enrolado em volta da agulha no sentido dos ponteiros do relógio. Como é que eu descobri isto, perguntam vocês? As instruções para o kfb (tricotar pela frente e por trás) faziam-me confusão – como poderia eu tricotar pela perna da frente do ponto e depois pela perna de trás, se eu já estava a tricotar pela perna de trás logo para começar. Então aí reparei que nos vídeos de tricot as pessoas tricotavam através das pernas da frente dos pontos, e comecei a fazê-lo também. Mas… Os meus pontos começaram a aparecer torcidos – o que r@#€§% se estava a passar com o meu tricot??

Então continuei a ver vídeos sobre aprender a tricotar e descobri que deveria enrolar o fio na agulha na direcção oposta quando estava a tricotar em liga – yay resolvi o meu problema com o kfb!! No entanto por esta altura eu tinha tricotado o início de uma camisola, que tinha umas riscas de pontos torcidos. Como é que eu resolvi isto? – perguntam vocês. Não resolvi, desfiz a camisola toda e comecei logo a montar as malhas de novo. 

Munida dos meus novos conhecimentos de tricot, fiz o corpo da camisola e comecei uma manga como o modelo indicava. E aqui começaram as verdadeiras desgraças – experimentei a camisola e detestei ver-me nela! Eu explico porquê: não sou propriamente uma rapariga tipo pau de virar tripas que fica bem em qualquer tipo de roupas, tenho duas meninas de tamanho considerável – e por isso o formato em A da camisola fazia-me parecer uma matrona. Por esta altura descobri o blog da fantástica  Amy Herzog, e na altura ela tinha as instruções dela da série Fit to flatter disponíveis gratuitamente, que foram uma grande ajuda para me ensinar como criar uma camisola mais ajustada e que ficasse bem no meu género de corpo. Então voltei a desfazer a camisola toda!(ok foi só até acima do peito)

Adicionei então, carreiras encurtadas na zona do busto, para que esta zona acomodasse melhor o meu peito e adicionei linhas princesa de diminuições do peito até à cinta, e de aumentos da cinta até à anca. As carreiras encurtadas ficaram uma grande trapalhada, porque na altura ainda não tinha encontrado instruções decentes que explicassem como as trabalhar quando o trabalho é realizado em circular, ao invés de direito/avesso. Fiquei com uma série de buracos que tive que diminuir passando o fio pelo tecido de tricot usando uma agulha de cozer, de forma semelhante à usada para rematar as pontas do novelo ( esta solução não foi propriamente a mais elegante, mas funcionou – desde então apercebi-me que depois de fazer as carreiras encurtadas, quando voltamos a tricotar em circular, ao chegar ao ponto que foi enrolado, temos a malha que não entrou na carreira encurtada, um buraco, e depois a malha enrolada, e temos que passar a laçada de forma que fique entre o ponto enrolado e o buraco, e tricotamos a última malha que não entrou na carreira encurtada e a laçada). Ento lá consegui terminar a camisola, ficou linda e servia-me perfeitamente – pensava eu na altura… 

Tinha feito um outro erro de principiante – não lavei a minha amostra, e por isso não tinha ideia que o meu lindíssimo fio 100% merino ia crescer em comprimento, MUITO!!! Depois da lavagem a minha camisola cresceu uns 5cm e as marcas de ajuste da camisola ao meu corpo estavam a cair nas piores zonas possíveis. A maioria das pessoas não teria problemas com isto, no entanto esta era a minha primeira camisola, de um modelo que me fez querer aprender a tricotar,  para que tivesse AQUELA camisola… A perfeccionista em mim fez-me voltar a desfazer a camisola toda (ok, outra vez só até acima do peito).

Agora que tinha uma amostra realística do tamanho da camisola, fiz tudo para tirar as medidas de densidade de pontos correctamente e recomecei a tricotar a camisola, voltando a adicionar carreiras encurtadas no peito e linhas de diminuições e aumentos para ajuste da camisola, agora colocadas de forma correcta na camisola. Em resultado fiquei com uma camisola lindíssima, que adoro tanto usar, que já se começa a notar o uso. 

Advertisements

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s